Como lidar com a tecnologia na sala de aula?

POR JOTTA CLUB

Muitos professores estão constantemente “lutando” contra a tecnologia dentro da sala de aula, o que é um tremendo erro. Uma série de situações desagradáveis e a insubordinação dos alunos, acostumados com gadgets desde muito cedo e então sendo proibidos de usá-los.

Será que essas políticas realmente são as mais eficientes? Será que o nosso papel como professor é ensinar dentro de um ambiente que é considerado arcaico fora do ambiente de sala de aula, ou ensinar o uso inteligente dessas ferramentas também é função do professor?

Independente do programa de ensino que a sua escola usa, veja sugestões de como usar a tecnologia e a tendência dessas gerações de se firmarem apenas nelas para produzir conhecimento.

Qual o limite da tecnologia em sala de aula?

A tecnologia em sala de aula precisa se limitada, já que existem diversas habilidades e capacidades que precisam ser ensinadas dentro desse ambiente que só vão ser atrapalhadas pelo celular e similar. Especialmente quando estamos falando de crianças menores, a necessidade do celular em sala de aula é praticamente zero.

Um dos exemplos mais óbvios é que as crianças não vão aprender afazer contas por conta própria se tiverem sempre uma calculadora à disposição.

Ainda assim, é interessante que os professores abordem a tecnologia em sala de aula e o que fazer e o que não fazer, especialmente dentro de mídias sociais e sites de compartilhamento de vídeos, como o Youtube.

Além disso, é importante mostrar os bons usos da internet, como o repositório de pesquisas e as diversas formas de consumir conteúdo científico e cultural, que com certeza vai aguçar o interesse das crianças por assuntos que muitas vezes elas não teriam interesse ou acesso.

Usando a tecnologia e aprendendo a não ser enganado por ela.

A tecnologia oferece uma série de questões interessantes, mas também oferece uma série de formas de fraudar as tarefas passadas aos alunos. Por isso mesmo o professor precisa ficar atento para não ser enganado por esse tipo de situação.

Teremos, inclusive, um artigo exclusivo sobre como evitar ser enganado com plágios na internet, que é extremamente importante para quando você recebe relatórios que deveriam ter sido escritos pelo aluno e não passam de cópias de sites.

Um ponto que idealmente interessante de se abordar para esse tipo de situação é fazer experimentos sociais sobre a internet, mostrando o quanto as notícias podem ser enormes e o quanto a internet pode ser usada deformas nefastas.

O experimento de compartilhamento no facebook é um excelente exemplo, e existem outros que você pode procurar para fazer com seus alunos.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.