Bases pedagógicas para prática autônoma e significativa

Apresentação em tema: “Bases pedagógicas para prática autônoma e significativa”— Transcrição da apresentação:

1 Bases pedagógicas para prática autônoma e significativa
Baseado em texto do curso de formação pedagógica em Educação Profissional na Área de Saúde: Enfermagem – PROFAEMaria Cristina Abrão Nachif

2 Planejar não deve ser uma tarefa burocrática, repetitiva, onde se dizem coisas que não acontecerão ou ocultam-se as que ocorrerãoO Planejamento deve ser portador de bases e visão estratégicas quanto às suas possibilidades (e limites) para apoiar as mudanças que desejamos impulsionar

3 A integração ensino-serviço-comunidade
Articular teoria e prática – não é uma decisão neutra – é uma opção política – rica em possibilidades e conflitosParceria ensino/serviço/comunidade“Devemos partir da compreensão inicial de que, em uma parceria, não existem privilegiados, possibilitando uma verdadeira interação entre as parcerias.Tal característica estabelece a necessidade de discussão dos problemas que vão surgindo, na medida em que o processo de parceria vai se estabelecendo, e essa discussão passa a exigir as negociações necessárias para o enfrentamento dos problemas que surgiramFazer uma parceria implica responsabilidades com a realidade vivenciada e compromissos com os resultados”

4 A parceria ensino/serviço/comunidade jamais poderá prescindir da estratégia de ação-reflexão-ação
Essa parceria facilita a apropriação consciente do sujeito em relação ao objeto, levando em consideração a totalidade.realidadeNo entanto, esse é um processo difícil…A prática do ensino sofre influência dos valores da sociedade de classe – então há uma tendência a privilegiar mecanismos excludentesAssim, as classes socialmente marginalizadas ficam excluídas das possibilidades de acesso, desenvolvimento pessoal, social e profissional pela via da escolarizaçãoDaí a “ausência” dos valores dessas classes no cotidiano das instituições de ensino e assistência à saúde

5 Então, nas práticas pedagógicas ainda predomina o “saber enciclopédico”, a acumulação acrítica e descontextualizada transmissão de conhecimentos teóricosRaízes da desarticulação entre o que se ensina e o que se necessita na prática paradigma filosófico-metodológico: racionalismo cartesiano ou cientificismo positivistadivisão da ciência-fragmentaçãoseparação das instituiçõesdivisão do trabalho (social e técnica)separação do mundo do trabalho (fazer) e do conhecimento (saber)As metodologias de ensino emancipadoras negam a possibilidade de separar “teoria” e “prática” como princípio pedagógico

6 Muitos são os desafios, mas não podemos desanimar…
relação serviço-comunidade: romper com a subordinação da estrutura dos serviços aos interesses profissionais dos médicos em defesa da sua soberaniarelação do ensino com os serviços: resistências dos serviços e seus preconceitos em relação ao ensino – estereótipo a ser superadorefletir sobre o significado de expressões como: disciplinas práticas, campo de estágio, não atende às exigências do ensino

7 Diretrizes para integração ensino-serviço-comunidade
A existência de políticas integradoras ensino/serviço/comunidade promovidas pelos gestores do serviço e do ensino – capacitação de gestores – superar a improvisaçãoA definição de prioridades políticas para a formação pedagógica dos docentes e preceptores do ensino em saúdeCompetência técnica – na área de sua especialidadeCompetência prática – nos serviços como eles sãoCompetência científica – para a construção de um novo conhecimentoCompetência pedagógica – ensino construído no cotidianoCompetência política – profissional do humano

8 O povo tem o direito de saber a Teoria da Prática do Povo!!!
A participação social consciente – reconhecimento de sujeitos como agentes que têm sua história o povo tem o direito de saber a Teoria da Prática do Povo!!!

Fonte e mais detalhes: http://slideplayer.com.br/

Comments

comments

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *