“Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.”

“Nasci em Alegrete, em 30 de julho de
1906. Creio que foi a principal coisa que me aconteceu. E agora pedem-me
que fale sobre mim mesmo. Bem! Eu sempre achei que toda confissão não
transfigurada pela arte é indecente. Minha vida está nos meus poemas,
meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma
confissão. Nasci no rigor do inverno, temperatura: 1 grau; e ainda por
cima prematuramente, o que me deixava meio complexado, pois achava que
não estava pronto. Até que um dia descobri que alguém tão completo como
Winston Churchill nascera prematuro — o mesmo tendo acontecido a sir
Isaac Newton! Excusez du peu… Prefiro citar a opinião dos outros sobre
mim. Dizem que sou modesto. Pelo contrário, sou tão orgulhoso que acho
que nunca escrevi algo à minha altura. Porque poesia é insatisfação, um
anseio de auto-superação. Um poeta satisfeito não satisfaz. Dizem que
sou tímido. Nada disso! Sou é caladão, introspectivo. Não sei porque
sujeitam os introvertidos a tratamentos. Só por não poderem ser chatos
como os outros? Exatamente por execrar a chatice, a longuidão, é que eu
adoro a síntese. Outro elemento da poesia é a busca da forma (não da
fôrma), a dosagem das palavras. Talvez concorra para esse meu cuidado o
fato de ter sido prático de farmácia durante cinco anos. Note-se que é o
mesmo caso de Carlos Drummond de Andrade, de Alberto de Oliveira, de
Erico Verissimo — que bem sabem (ou souberam) o que é a luta amorosa com
as palavras”.

A imagem acima tem um verso de um dos poemas de Quintana que eu gosto muito. E abaixo deixo um poema na íntegra para que você possa deleitar-se.

Bilhete
Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda…
(Poema publicado originalmente no livro Esconderijos do Tempo, retirado de Poesia Completa – Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005, p. 474)
Caso queira saber mais do autor, clique aqui. Você será direcionado ao blog releituras, que tem uma biografia mais completa.
PRESENTÃO!!! Para os amantes da boa poesia, vale a pena ver o documentário mais completo sobre a vida de Quintana. Ah, e ainda tem o próprio poeta declamando algumas de suas poesias.

Mais um poema com fundo musical.

Espero que tenham gostado.

Um beijo carinhoso,

Fonte: http://vidaposmoderna.com.br/

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *