aprendizagem da escrita – abordagem construtivista

aprendizagem da escrita – abordagem construtivista 1. Pressupostos 2. Concepções sobre a escrita 3. Processo de investigação 3. Fases ou etapas.”— Transcrição da apresentação:

Aula de 8/03 aprendizagem da escrita – abordagem construtivista 1. Pressupostos 2. Concepções sobre a escrita 3. Processo de investigação 3. Fases ou etapas da construção da escrita pela criança 4. Concepções dos professores 5. Conclusões e indicações

2 ATIVIDADE Hipótese Conflito cognitivo Nova hipótese Pressupostos construtivistas O modelo da equilibração SUJEITO OBJETO / MEIO Textos e outras formas de escrita ATIVIDADE Hipóteses

3 Concepções sobre a escrita 1) Escrita como código de transcrição da fala Aprender a ler e escrever é memorizar as relações entre grafemas e fonemas (aprender a codificar e decodificar) 2) Escrita como sistema de representação Aprender a ler e escrever é compreender o significado da escrita e o conteúdo dos textos (as relações grafema-fonema) vão sendo “descobertas” ou deduzidas nesse processo

4 Processo de investigação da aprendizagem Método clínico de Piaget: Colocar a criança diante de uma tarefa e deixar que realize a atividade espontaneamente, da forma que quiser. Solicitar que a criança explique o que fez e porque fez daquela forma. Descrever e analisar a forma como ela realiza a atividade. Repetir o procedimento com crianças de várias idades diferentes. Relacionar os comportamentos apresentados com a faixa etária da criança, identificando etapas ou fases.

5 Fases ou etapas da construção da escrita pela criança Distinção entre figura (desenho) e texto – elementos icônicos e não-icônicos Rabiscos (garatujas) com Diferenciações intra-figurais e inter-figurais Fonetização – períodos: Silábico (sem valor sonoro) Silábico (com valor sonoro) Silábico-alfabético Alfabético

6 “Pré-silábica” sem diferenciações inter figurais

8 “Pré-silábica” com diferenciações inter figurais

9 Silábica sem valor sonoro

10 Silábica com valor sonoro

11 Silábico-alfabética

12 Concepções dos professores Concepção empobrecida – reduzem a escrita ao domínio da relação entre letras e sons Consideram a Escrita como um código Desconhecem os esforços das crianças para compreender o sistema de escrita (suas hipóteses)

13 Conclusões de E. Ferreiro É preciso mudar o foco do “como se ensina” para o “como se aprende” Não é preciso um novo método É preciso analisar as práticas usadas na alfabetização (ditado, cópia) É preciso deixar as crianças livres para buscar informações sobre a língua e escrever como acham que deve ser, para que possam testar suas hipóteses e mudar suas convicções,

Fonte e texto: http://slideplayer.com.br/slide/

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *