5 princípios para a hora de pensar numa sondagem na alfabetização

Mara Mansani organizou um passo a passo de como fazer sondagem na alfabetização. Confira suas dicas

Sondagem é a atividade de diagnóstico das hipóteses de escrita de cada aluno de uma turma de alfabetização e é usada para avaliar a evolução do processo de aprendizagem. Consiste em uma produção espontânea de uma lista de palavras, sem apoio de qualquer fonte e nem intervenção do professor, e pode ser seguida ou não pela produção escrita de alguma frase.

Acha difícil fazer isso? Nunca fez e nem sabe como? Faz sempre, mas tem dúvidas? Organizei um passo a passo de como faço essa atividade e elenquei dicas que, a meu ver, fazem a diferença! Vamos lá.

1) Para começar, me preocupo em criar um ambiente agradável para desenvolver a sondagem, orientando a proposta com calma e naturalidade. Crio também um contexto para o ditado. Se as palavras escolhidas são ingredientes para um lanche, por exemplo, digo: “A professora Lúcia vai fazer um piquenique com os alunos. Vamos escrever a lista dos ingredientes que eles precisam comprar para preparar os lanches”.

2) Não deixo de colocar palavras que julgo difíceis para as crianças escreverem porque os desafios colaboram com a reflexão sobre o sistema de escrita. Se a turma é de alfabetização inicial, não escolho palavras que tenham vogais repetidas nas sílabas, como em batata. Isso porque, por exemplo, se o aluno estiver na fase silábica com valor sonoro, pode ser que se utilize somente de vogais para escrever e não vai aceitar uma palavra que pode ser escrita assim: AAA.

3) Na sondagem, o ideal é que os alunos escrevam da melhor maneira possível e sem interferências, para que saibamos realmente em que fase estão e  o que pensam sobre as escritas. Em outros momentos, claro que não deixo de fazer as intervenções necessárias para a escrita correta das palavras.

4) Nas turmas de alfabetização inicial, faço o ditado para um aluno por vez, ou, no máximo, para três alunos. Ao acompanhá-los de perto, posso fazer perguntas e entender o motivo de suas escolhas na escrita. Não perco informações importantes sobre como pensam a construção da escrita e ainda faço anotações que vão ser úteis no processo de avaliação durante o ano. Se na turma houver alunos na fase silábica alfabética ou alfabética, dito para um número maior de alunos, pois esses escrevem com um pouco mais de autonomia.

5) Quando são muitos alunos na turma, peço o auxílio de outro professor ou do coordenador pedagógico de minha escola para realizar a sondagem. Afinal, faço parte de uma equipe escolar.

Estes são os princípios que sigo para pensar na sondagem. Se você quiser ver um  diagnóstico que planejei, preparei um documento com três etapas para inspirá-lo. Ele está abaixo e também disponível para download neste link.

Segue o link do passo a passo completo dessas ótimas dicas: 5 princípios para a hora de pensar numa sondagem na alfabetização

Fonte: https://novaescola.org.br/

Comments

comments

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *