Quando notas valem mais do que conhecimento

A busca por resultados satisfatórios do ponto de vista quantitativo está minando a busca pelo saber e banalizando o ensino

Resultado de imagem para Quando notas valem mais do que conhecimento

Conhecer por conhecer. Isso parece cada vez mais raro nas escolas da atualidade. A #Educação se tornou utilitária e pouco se faz para tentar reverter o quadro. Para nossos alunos poucas coisas valem a pena aprender e o pouco que se aprende é por causas utilitárias. A pergunta mais comum em #sala de aula é “por que que eu tenho de saber disso?”. Esse tipo de questionamento acaba minando uma das principais virtudes do ser humano: a curiosidade.

Houve um tempo em que se buscava descobertas para satisfazer a curiosidade. Os grandes nomes da astronomia, por exemplo, talvez não viram utilidade em descobrir e estudar os movimentos e características dos astros. Eles dedicaram boa parte de sua vida à observação apenas para entender como o universo funciona satisfazendo uma curiosidade pessoal. Heródoto, ao transitar entre os combatentes persas e gregos, não estava ali sendo pago para fazer o trabalho de repórter. Ele queria entender o conflito, organizar as ideias e produzir a história do confronto. Não havia intenções utilitárias.

Hoje, porém, os estudantes pouco se importam com o #conhecimento científico. Não entendem o porquê de estudar Filosofia, História, Física, Literatura ou Matemática. Acham que é tudo perda de tempo e que esse conhecimento nunca será de fato utilizado. Se o conhecimento não servir para ganhar dinheiro, ele não terá importância alguma.

Isso não é um problema exclusivamente da escola: é um reflexo do mundo atual. No capitalismo que domina o mundo na atualidade, o que vale é o lucro. Tudo que não leva a esse objetivo não tem valor. Logo, se o conhecimento não levar ao lucro, ele é dispensável. Quer um exemplo? Como são tratados os idosos em nossa sociedade? Eles não são idolatrados por sua experiência e sabedoria como nos povos ditos primitivos. Eles são descartados por não poderem mais ganhar dinheiro. Como não podem mais trabalhar, eles são um peso a ser carregado.

Conscientizar é preciso. Convencer os alunos da importância do conhecimento é um trabalho árduo. E isso será cada vez mais distante enquanto nosso sistema de ensino for memorizador, meritocrático e utilitário assim como nossa sociedade capitalista, tecnológica e maravilhosa.

Fonte: http://br.blastingnews.com/

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sign up to our newsletter!