UFRPE oferece curso inédito de ciências do consumo em 2017

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, sapatos e texto

CONFIRA O  ÁUDIO ABAIXO:

Um curso de graduação que permita aos alunos uma formação inovadora e reflexiva sobre as relações de consumo no mundo contemporâneo. A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) será a primeira do país a oferecer bacharelado em ciência do consumo. Os estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2016 poderão se candidatar ao novo curso já a partir de janeiro de 2017 pelo Sistema de Seleção Unificada do Ministério da Educação (Sisu). Serão ofertadas 80 vagas.

A coordenadora do novo curso, a professora de economia doméstica Michelle Maciel, explica que já está havendo bastante procura por informações. “É uma temática necessária porque traz uma reflexão crítica relacionada à sustentabilidade, a qualidade de vida das pessoas, as relações éticas e a um compromisso social”, observa. O curso terá quatro anos de duração e o novo profissional será diplomado como consumólogo ou cientista do consumo.

O estudante poderá escolher entre um dos três eixos de conhecimento, de acordo com as suas aptidões: desenvolvimento humano; alimentos, nutrição e saúde; ou arte, habitação e vestuário. Mas será uma decisão para o quarto período. Até lá, explica a coordenadora Michele, o aluno fará as disciplinas obrigatórias do curso. “Mas, em vez de escolher um desses eixos temáticos, ele poderá escolher um percurso formativo misto”, afirma. A graduação em ciências do consumo será ligada à estrutura do Departamento de Ciências Domésticas da UFRPE.

A ideia do curso não é nova. De acordo com a pró-reitora de Ensino de Graduação da UFRPE, professora Socorro Lima, um bacharelado diferenciado vem sendo pensado desde 2012 para atender as demandas da contemporaneidade e as novas necessidades do mundo do trabalho. Embora tenha sido inspirado em experiências internacionais, o novo bacharelado é inédito no Brasil e diferencia-se da proposta da Escola Superior de Propaganda e Marketing, em São Paulo, que tem curso de ciências sociais e do consumo, mas associado à comunicação. “O nosso curso será associado às ciências sociais aplicadas”, afirma a pró-reitora.

O novo profissional poderá trabalhar em instituições públicas e privadas, como empresas da cadeia têxtil e de confecções, de hospedagens, de projetos de espaços construídos e ambientes, de seguro de saúde; equipamentos de assistência social; hospitais, clínicas e unidades de saúde; instituições de educação infantil, de ensino, pesquisa, inteligência mercadológica, de longa permanência para idosos; lavanderias; organizações de políticas públicas, extensão rural, capacitação profissional, controle sanitário e ambiental, controle social, ONGs, prestadoras de serviços de higiene e limpeza, unidades de produção de refeições, cooperativas, fundações e órgãos e associações de direito e defesa do consumidor.

Com sede na capital Recife e unidades acadêmicas em todo o Estado, a UFRPE tem 54 cursos de graduação, entre presenciais e a distância, e 48 de pós-graduação. São 18 mil estudantes, 1200 professores e mais de mil técnicos administrativos. Em 2017, a UFRPE ofertará 3.560 vagas distribuídas entre a sede do campus Dois Irmãos e as unidades acadêmicas do Cabo de Santo Agostinho (UACSA), de Garanhuns (UAG) e de Serra Talhada (UAST). Informações sobre os cursos da URFPE podem ser encontradas na página da universidade.

Fonte: http://portal.mec.gov.br/

Comments

comments

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *