Professor tem formação melhor na rede pública do que na particular

SAO PAULO, SP, BRASIL, 24-03-2016 10h26: Reuniao dos professores da escola partitular Elvira Brandao, pauta - as escolas particulares constroem seu curriculo e como esperam que a Base nacional curricular comum, que esta sendo construida pelo MEC, ira impactar nessas escolas. ( Foto: Luiz Carlos Murauskas/Folhapress, COTIDIANO ) ***RESTRICAO***

Os professores da educação infantil e dos primeiros anos do ensino fundamental que lecionam na rede pública têm melhor formação teórica do que seus pares das escolas privadas.

Isso vale para duas métricas: percentual de docentes com ensino superior completo e com currículo adequado ao que a lei determina.

Formação universitária apropriada para lecionar no Brasil, porém, não é garantia de qualidade. O excesso de teoria nos cursos de pedagogia e licenciatura e a distância com a realidade escolar podem prejudicar o ensino.

Essas conclusões estão em um estudo inédito coordenado pelo acadêmico Fernando Abrucio, da FGV, para o movimento Todos pela Educação.

“Quem fez pedagogia no país estudou sobre educação, mas não é um profissional preparado para enfrentar a sala de aula. O mesmo vale para as licenciaturas”, diz Alejandra Velasco, superintendente da entidade.

Os dados revelam que, em 2014, a fatia de professores do ensino infantil (creches e pré-escola) na rede pública com nível superior completo e formação em pedagogia era, respectivamente, de 80% e 50%. Nas escolas privadas, esses percentuais atingiram 65,6% e 32,8%, respectivamente.

Esse hiato se repete nos primeiros anos do ensino fundamental, que vai do 1º ao 5º ano.

Nos dois ciclos mais avançados –últimos anos do fundamental e médio–, os indicadores de formação de professores tendem a ser melhores nas privadas, mas as públicas não ficam muito atrás.

Em todas as etapas da educação, em ambas as redes, a qualificação dos professores aumentou nos últimos anos. O estudo levanta a importância de entender o impacto desse progresso na qualidade da educação no Brasil, aquém do nível de países desenvolvidos.

Segundo Beatriz Ferraz, gerente de educação infantil da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, os cursos de pedagogia no país têm pouca proximidade com as necessidades das creches e pré-escolas. Continuar Lendo…

Fonte: Uol Educação

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sign up to our newsletter!